FINALIDADE

Este curso tem como finalidade preparar os formandos para: – conhecerem os mecanismos de informação e desinformação no ambiente digital; – aprenderem a identificar “notícias falsas” (“fake news”); – usarem as várias ferramentas digitais disponíveis para fazer a verificação de informação. Os formandos deverão ficar a conhecer as estratégias e métodos usados para propagar notícias falsas, deverão ser capazes de as identificar e deverão ser capazes de as desmascarar como falsas.

DESTINATÁRIOS

Este curso destina-se preferencialmente a quem exerça ou pense vir a exercer funções em meios de comunicação social, sobretudo no ambiente digital. O curso é particularmente relevante para jornalistas em exercício, mas pode ser útil a todos os profissionais que trabalhem nesta área, assim como aos cidadãos comuns preocupados com a credibilidade dos meios de informação no ambiente digital.

PROGRAMA

16 H Fundamentos do jornalismo na era digital Breve história da desinformação nos meios de comunicação social Tipos de regulação da desinformação O que é uma notícia falsa? Tipos de desinformação no ambiente digital Ferramentas de identificação de notícias falsas

OBJETIVOS GERAIS

No final do curso, os formandos ser capazes de: – Compreender os fundamentos do jornalismo na era digital; – Identificar uma notícia falsa; – Identificar e conhecer os tipos de desinformação existentes no ambiente digital; – Identificar e conhecer os tipos de regulação da informação na era digital; – Saber usar as ferramentas para identificar e desmistificar notícia falsas;

TAXA DE FREQUÊNCIA

35 euros.

Desconto de 50% para portadores de título profissional de jornalista e para outros profissionais dos média que apresentem declaração da entidade empregadora comprovativa da atividade atual.

Os desempregados beneficiam de isenção da taxa de frequência, para o que deverão apresentar declaração do Centro de Emprego.

METODOLOGIA

Formação em ambiente presencial, em sala, assente numa organização sequencial lógica e funcional. Nas sessões teórico-práticas presenciais, recurso aos métodos: – Expositivo (participado), – Interrogativo, – Demonstrativo, – Case-study. Trabalho prático com base na descoberta e role-playing.

AVALIAÇÃO E QUALIFICAÇÃO

A qualificação, atestada por um diploma no final do curso, depende da assiduidade da frequência – a ação formativa implica, pela sua própria natureza, a presença dos formandos – e do nível de desempenho dos formandos ao longo do curso, num processo de avaliação contínua.

Para mais informações, contactar a secretária do curso – Fátima Gonçalves – tlf.: 218855011 • e-mail: fgoncalves@cenjor.pt