FINALIDADE

A presente Oficina de Reportagem pretende proporcionar aos participantes um aperfeiçoamento de competências no âmbito das técnicas de reportagem (em texto e imagem), designadamente, no que respeita a preparação da recolha, em função da escolha do ângulo, ao texto final, passando pelo trabalho de campo e contacto com as fontes, no respeito pelos princípios éticos e normas legais que regulam a prática do jornalismo profissional. Nesta ação, o tema aglutinador das propostas de reportagem será A CIDADE.

DESTINATÁRIOS

Pessoas que já tenham frequentado um “Ateliê de Imprensa” no Cenjor ou cursos de nível superior na área do Jornalismo ou da Comunicação.

PROGRAMA

48 H

O que é a reportagem. O repórter como testemunha da realidade;
A reportagem como género jornalístico de natureza informativa;
A preparação da reportagem; o ângulo de abordagem;
O trabalho no terreno. Recolha de dados: viver para fazer viver;
Captar imagens significativas e informativas;
Escrita da reportagem: linguagem e pianos narrativos; a descrição, “sal” da narração;
A abertura; a importância do arranque; “picos” de interesse; o fio condutor; o fecho;
A organização em blocos; o uso do “eu”;
Tipos de reportagem e especificidades dos principais tipos. Editar as imagens-chave de uma colheita abundante;
Análise da produção desde a apropriação do tema, do ângulo de abordagem e da preparação de cada reportagem, executada por cada um dos formandos (texto e imagem).

OBJETIVOS GERAIS

Concluída a ação, os formandos deverão ser capazes de:
– Aplicar as regras deontológicas que regulam o exercício da atividade jornalística;
– Definir a noticiabilidade dos acontecimentos, segundo critérios de avaliação jornalística;
– Pesquisar e recolher informação junto dos diversos tipos de fontes, comprová-la e selecioná-la, com vista a produção posterior de reportagens;
– Cumprir as regras da escrita jornalística e do fotojornalismo, nos aspetos formal e estrutural, tendo em conta as especificidades da execução de reportagens;
– Compreender como atuam os jornalistas na sua prática profissional, no contexto das diferentes fases produtivas da Imprensa.

TAXA DE FREQUÊNCIA

100 euros.

Desconto de 50% para portadores de título profissional de jornalista e para outros profissionais dos média que apresentem declaração da entidade empregadora comprovativa da atividade atual.

Os desempregados beneficiam de isenção da taxa de frequência, para o que deverão apresentar declaração do Centro de Emprego.

METODOLOGIA

O curso preconiza a adoção de métodos ativos, adequados ao envolvimento dos formandos em atividades e tarefas semelhantes às que efetuam no exercício do jornalismo profissional.
A ação de 48 horas decorrerá em sessões teórico-práticas (iniciais), em que será utilizado o método expositivo para a transmissão dos conteúdos programáticos sobre as regras da escrita e da imagem em reportagem e prática simulada através da cobertura no terreno para possibilitar a produção e analise das peças, em que se articularão textos e imagens, para operacionalização dos conhecimentos.
Os trabalhos da ação requerem o recurso a sala com equipamento informático adequado, acesso à Internet e a informação da Agência Lusa, projetor de vídeo e quadro branco, bem como documentação fornecida pelos formadores.

AVALIAÇÃO E QUALIFICAÇÃO

A qualificação, atestada por um diploma no final do curso, depende da assiduidade da frequência – a ação formativa implica, pela sua própria natureza, a presença dos formandos – e do nível de desempenho dos formandos ao longo do curso, num processo de avaliação contínua.

Para mais informações, contactar a secretária do curso – Conceição Cardoso – tlf.: 218855012 • e-mail: ccardoso@cenjor.pt